domingo, 26 de abril de 2015

Mesmo na vantagem, Santa Cruz encara Central com bastante seriedade

Grupo coral evitou clima de "já ganhou" durante toda a semana



Para se classificar à final neste domingo, em Caruaru, tricolores podem perder por até três gols de diferença



Para a torcida do Santa Cruz, estar em mais uma final do Campeonato Pernambucano é uma questão meramente formal – basta só aguardar os 90 minutos mais os acréscimos para a confirmação oficial. Os tricolores acreditam que depois do 4x0 aplicado na partida de ida, no Arruda, nada mais vai tirar a vaga na decisão. No discurso, o elenco trata de jogar esse oba-oba e o “já ganhou” para longe. É assim que, com seriedade e respeito, os corais voltam a campo, hoje, às 16h, para o segundo jogo da semifinal contra o Central, no Estádio Luiz Lacerda, em Caruaru.

A empolgação da massa coral é explicável. Não é comum ver uma equipe inverter uma desvantagem de quatro gols num mata-mata. Isso sem falar que, nos três confrontos na temporada contra a Patativa, a Cobra Coral venceu todos. Foram sete gols marcados e apenas um sofrido.

Caso o Salgueiro passe pelo Sport e chegue à inédita final, no mesmo horário, o Santa só precisará do empate para garantir – independentemente do resultado na Arena PE – que o segundo jogo da final será no Arruda. O critério leva em conta a soma da pontuação das duas fases (Hexagonal e semifinais), e os tricolores têm melhor campanha que o Carcará (hoje, 17x14 pontos). Se der Sport, o primeiro jogo da final será no Arruda, pois o Leão tem mais pontos (hoje, 25x17)

E para fugir do clima externo, o técnico Ricardinho trabalhou a semana inteira como se o jogo de ida tivesse sido 0x0. “Aqui não tem conforto. Não vamos entrar nessa euforia. O nosso grupo é capaz de separar as situações e trabalhamos, ao máximo, para vencer o adversário”, garantiu o técnico.

Os jogadores seguiram direitinho a cartilha do comandante e evitaram polemizar nas entrevistas desta semana. “Não tem isso de poupar time. Se todo mundo tiver condições de jogo, acredito que vamos com força máxima. A gente está indo para Caruaru com extremo respeito ao Central e, para nós, o jogo lá começa 0x0”, disse o meia Guilherme Biteco. “É difícil tirar uma vantagem dessa, mas não é impossível. Por isso, temos que ter cuidado até porque pelo placar da ida eles devem nos atacar desde o início do jogo”, completou o atacante Anderson Aquino.

Em relação ao time, o técnico Ricardinho fez mistério, mas é provável que mudará outra vez – será a 12ª escalação em 12 jogos. Com os retornos do zagueiro Danny Morais, do lateral-esquerdo Tiago Costa e de Anderson Aquino, Diego Sacoman, Renatinho e Emerson Santos devem deixar o time, nessa ordem. Seguem de fora, o volante Edson Sitta (recuperando-se de uma fratura na face) e os atacantes Bruno Mineiro e Waldison, ambos aprimorando a parte técnica.


Fonte: Jornal do Commercio

Felipe Amorim

Fernando da Hora/JC Imagem